Notícias

Meio bilhão de reais é a expectativa da Hugo Engenharia para 2019/2020

31/10/19

Empresa inova em tecnologia, expertise de projetos e análise de mercado

Em mais de duas décadas, a Hugo Engenharia tem inúmeras obras para comemorar, mas segue projetando tantas outras que pretende inaugurar. Principalmente neste momento, em que lança seu segundo empreendimento no mercado ribeirão-pre- tano, galgando a mesma receptividade positiva que conquistou com clientes, amigos e parceiros em São José do Rio Preto.

Para Hilton Fabbri, diretor da empresa, a única maneira de retribuir tamanha hospitalidade, é investir em novos empreendimentos, cada vez mais modernos, com a valorização de espaços urbanos e de infraestrutura qualificada, considerando sempre a natureza e a sustentabilidade.

É desta maneira que ele anuncia o Fiúsa One, empreendimento de alto padrão em área nobre de Ribeirão Preto, na confluência das avenidas João Fiúsa e Presidente Vargas. Confira os detalhes na entrevista que segue.

 

“Fiúsa One terá totem de abastecimento de carros elétricos e infraestrutura nos apartamentos para automação de iluminação e ar-condicionado pelo celular”, Hilton Fabbri

 

Qual o Volume Geral de Vendas (VGV) projetado pela Hugo Engenharia para o biênico 2019/20?

Hilton Fabri – Estamos trabalhando para atingir um crescimento robusto. Nossa expectativa é que o VGV atinja R$ 480 milhões nos próximos dois anos, com empreendimentos exclusivos nas cidades de São José do Rio Preto e Ribeirão Preto. Apenas nesse ano, devemos trabalhar para lançar e comercializar 50% desse valor.

Como você avalia a receptividade do mercado de Ribeirão Preto com a Hugo Engenharia, que concluiu, no último mês, o Tapuias Residencial?

HF – Foi uma experiência marcante em nossa história de mais de 20 anos. Concluimos um empreendimento de um VGV de R$ 80 milhões com zero de estoque. Ficamos surpreendidos com a receptividade do mercado com esse produto e com o número de elogios dos clientes. Muitos nos procuraram espontaneamente para relatar sua experiência com o conceito do Tapuias, o seu condomínio clube e sua estética.

Onde será o próximo lançamento?

HF – O mercado imobiliário de Ribeirão esperava, há décadas, o lançamento de um empreendimento em uma área nobre da cidade, na confluência das avenidas João Fiúsa e Presidente Vargas. Vamos comercializar e construir, em breve, o Fiúsa One. Nessa região, um eixo imobiliário, financeiro e de serviços relevantes para Ribeirão Preto, desenvolvemos um empreendimento triplo A, que permite 29 composições de planta.

Quais os diferenciais desse novo empreendimento?

HF – Utilizamos, ao longo do desenvolvimento, a inteligência de mercado para trazer conceitos de tecnologia, inovação, estética funcional para o mercado imobiliário da cidade. Buscamos a liberdade do projeto, ou seja, lajes planas, com poucas vigas e com poucos pilares, para proporcionar variação de layout. E ainda, teremos totem de abastecimento de carro elétrico, que permite agendamento prévio e medição individualizada. Os apartamentos terão infraestrutura para automação de comando de iluminação e ar-condicionado pelo celular, além de premissas que a empresa traz, como energia fotovoltaica e reuso de água.

Sem contar a estética da fachada, funcional e única na cidade que, com certeza, irá transformar essa região em um cartão postal.

Como você avalia as cidades de São José do Rio Preto e Ribeirão Preto, que são focos de investimentos da Hugo Engenharia?

HF – Ribeirão Preto é um mercado maduro no cenário nacional, principalmente no ambiente imobiliário vertical. Há uma aquisição volumosa pelos moradores e investidores. Em São José do Rio Preto, o mercado imobiliário está se organizando nesse sentido (imobiliário vertical), graças à inteligência dos projetos que tem possibilitado a migração de moradores de condomínios horizontais para imóveis verticais, com conceito de qualidade e tecnologia. Por isso, estamos projetando um crescimento robusto do VGV nos próximos anos. Na fase précrise, chegamos a R$ 170 milhões/ano. A Hugo Engenharia sempre foi otimista com o mercado imobiliário. Agora estamos dando um upgrade sobre o que comercializamos até 2014, com a segurança do conhecimento que adquirimos e da inteligência de mercado que passamos a adotar em nossas estratégias.

As perspectivas são positivas para o atual cenário econômico?

HF – Estamos confiantes, vendo bons sinais do mercado e da equipe econômica do Governo Federal. A taxa Selic, que impacta diretamente o mercado imobiliário, continua em um patamar baixo com perspectiva de queda, principalmente com a possível aprovação da reforma da Previdência. Por isso, estamos trabalhando na qualificação da operação imobiliária, do planejamento do produto, da aquisição de áreas em vazios urbanos e até a entrega de chaves, buscamos full time o perfeccionismo. São valores da Hugo que se tornaram referência no mercado em que atuamos.

Por falar em planejamento de longo prazo, para qual direção a Hugo Engenharia caminha?

HF – A empresa caminha internamente para um modelo de gestão corporativa, com regras claras, com estrutura de gestão adequada e mecanismos de garantia de um crescimento sustentável. Estamos nos preparando para entrar na nova era de tecnologia da engenharia, com a plataforma BIN, sucessora do AutoCad. Ela permite que todos os projetos (estrutural, elétrico, hidráulico, entre outros) sejam feitos em um mesmo arquivo em realidade tridimensional. Vamos avançar em planejamento, controle de processos e uso de tecnologia na construção. Vem aí uma nova fase no setor e no mercado, e a Hugo está se preparando para isso.

Compartilhe